7 esconderijos de vilões do cinema que você pode conhecer na vida real

O gigantesco satélite do filme “007 Contra GoldenEye” é uma peça central do plano de Alex Trevelyan para realizar o maior roubo da história. Na vida real, a construção é quase tão empolgante quanto na ficção. É o observatório de Arecibo, em Porto Rico, usado por astrônomos em pesquisas científicas

A mansão dos Malfoy, de “Harry Potter”

O interior da base de Stryker, de “X-Men 2″, foi criado em computador. Mas a barragem em que ela está escondida é de verdade: fica no Peter Lougheed Provincial Park, em Kananaskis, Alberta, no Canadá / Foto: Reprodução

O Asilo Arkham, lar dos mais perigosos inimigos do Batman, foi criado a partir de dois locais diferentes. A fachada é do National Institute For Medical Research, em Londres, mas a escadaria em que a polícia é atacada por morcegos em “Batman Begins” é do St Pancras Hotel, também em Londres

O esconderijo de Dominic Green, vilão em “007 – Quantum of Solace”, é um observatório astronômico. A parte mostrada no filme é a área residencial de La Residencia, no Deserto do Atacama

A enorme mansão de Norman Osborn, o grande inimigo no primeiro “Homem-Aranha” de Sam Raimi, é, na verdade, o Tudor City Apartment Complex, um prédio de apartamentos luxuosos em Nova York, imaginado como se pertencesse a um único bilionário louco. Para entrar, é preciso conhecer alguém que more lá. Mas sempre é possível ver a fachada – a única parte que aparece no longa

O edifício em que o Príncipe Vigo aparece (e mais tarde é derrotado) em “Os Caça-Fantasmas 2″ é chamado de Manhattan Museum of Art. Na verdade, é o Alexander Hamilton U.S. Custom House, a antiga alfândega de Nova York, que se tornou patrimônio histórico na década de 1970

A mansão dos Malfoy, de “Harry Potter”, é, na verdade, Hardwick Hall, em Derbyshire, no Reino Unido. A mansão real não tem os tetos pontudos, mas é totalmente aberta ao público

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *